Tradutor

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Epe



Faço espaço
e subtraio migalhas
do tempo,
para ver o crepúculo
morrer
e a aurora nascer,
conosco

Vejo-lhe mesmo
onde não está
e faço com os
olhos distantes...

E você persiste em
mim em tudo que faço,
mesmo em minha escassez
de espaço

O florir das cores
na primavera em todos
os lugares é bonito
mas a estação das flores
em você é linda
nela há o desabrochar
do amor

Ouvir suas palavras
é o mesmo que sonhar
com o gorjear do rouxinol
livre no campo

Compartilhar do seu amor
é como contemplar uma vaga
que toma corpo no azul do
horizonte
e dança sobre o mar verde sujo
e descansa na praia
sem se fracionar

E ao seu lado, não vejo o
caminhar do progresso,
e nem ouço a queda das
cinzas das horas ...


( Homenagem ao autor João Abel dos Santos )

7 comentários:

O Profeta disse...

Nasceu!
Nascem a todo o instante
Os sentires vindos da alma
Tatuados a cada semblante

Um beijo na tua procura
Um abraço fica suspenso
Um sorriso desponta da tristeza
Um olhar prende o momento


Boa semana


Doce beijo

Angélica disse...

Mamma carina!!

Como é gostoso ler o que brota de um coração apaixonado!

Meus parabéns não cessam... ao inspirado poeta e à inspiradora musa, dois dos meus amores :)

Te amo!

Luz da Lua disse...

Grazie mille,
Io sono molto felice per avere tu
carina figlia mia,creazione di questo amore .Baci in cuore !

Caterina disse...

La poesia e i vostri commenti sono una meraviglia pieni di affetto, amore.
Bacini:
Kati

juuulianasantos disse...

Belíssimo poema! Parabéns ao incrível poeta e sua musa que postou essa homenagem!

Te amo!

O Profeta disse...

Haverá?! Há sempre uma deusa perdida
Nos labirintos da contradição
Há sempre alguém que usa a palavra amor
Soprando doce veneno ao coração
Há sempre alguém que nos diz coisas tontas
Há sempre alguém que afugenta a Saudade
Há sempre alguém que nos marca a ferro frio
Há sempre uma alma ausente da verdade


Boa semana


Doce beijo

O Profeta disse...

Haverá?! Há sempre uma deusa perdida
Nos labirintos da contradição
Há sempre alguém que usa a palavra amor
Soprando doce veneno ao coração
Há sempre alguém que nos diz coisas tontas
Há sempre alguém que afugenta a Saudade
Há sempre alguém que nos marca a ferro frio
Há sempre uma alma ausente da verdade


Boa semana


Doce beijo